HOME  HOME  ExpoBrazil - Agaricus, herbs, propolis for health and beauty.  Nikkeybrasil Quem Somos Biografias Indice de Biografias Forum Fotos de Biografias Links Contato  em japones




Recomendações da Jetro

Recomendação 8: Elaborar o portfolio por segmento de setores de interesse para o investimento e o portfolio de potenciais investidores brasileiros.

Quando realizamos seminários com o tema “atrair investimentos” em cidades de outros países, sempre ouvimos a seguinte pergunta: “qual o setor que está precisando de investimentos? Qual é o contexto e os motivos?”. Evidentemente, os investidores escolhem seus candidatos compatíveis com o segmento em que atua. Ou seja, o interessado em receber o investimento deve começar pela especificação dos setores compatíveis com a estrutura produtiva e condição geográfica de seu país, estado ou município.

Também recomendamos que seja apresentado um perfil de mercado com pesquisas sobre o setor especificado apresentado, pelo menos, na língua inglesa (se for possível, elabore na língua do país-alvo). Esse tipo de preparo demonstra ao investidor que há entusiasmo e vontade em atrair investimentos para a sua região.

O investimento pode ser de diferentes formas, como uma nova fábrica com 100% de capital estrangeiro, joint ventures ou coligação com empresas brasileiras, ou ainda, aquisição, fusão ou privatização de empresas estatais. Ainda há opções como escritórios de venda e escritórios com funcionários enviados da matriz. Se o país ou o estado receptor do investimento souber de alguma empresa local que deseja realizar um joint venture, deve preparar um perfil dessa empresa. Dessa forma, é possível realizar atividades de promoção mais direcionadas ao alvo.??


Recomendação 9: Efetuar trocas permanentes de informações, mantendo estreitas relações com as câmaras de indústria e comércio, órgãos de comércio exterior/promoção de investimentos, embaixadas e consulados de outros países, instalados no Brasil.

No Brasil, encontramos muitas Câmaras de Indústria e Comércio, órgãos de promoção de comércio exterior, embaixadas e consulados de outros países. Segundo o “Brazil, Facts and Figures” publicado pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil, são 40 países e 70 câmaras listadas. Além das câmaras, os principais países possuem diversos escritórios de promoção de comércio exterior e investimentos como, por exemplo, a ICE da Itália, a JETRO do Japão, a KOTRA da Coréia e muitos outros. Esses órgãos enviam a seus países de origem e comunicam às empresas associadas as informações sobre o Brasil, incluindo as informações relacionadas aos investimentos, e também realizam encontros de negócios.

Os empresários estrangeiros que residem no Brasil são pessoas que sabem como proceder um negócio no Brasil e conhecem toda a potencialidade e as mudanças alcançadas pelo país. Por esta razão, o governo federal, os governos estaduais e os órgãos de promoção de investimentos deverão estabelecer um sistema de troca permanente de informações tomando a iniciativa de contatar essas pessoas de forma contínua e organizada. O fornecimento contínuo de informações aos empresários estrangeiros residentes no Brasil sobre o ambiente de investimento brasileiro significa emitir essas informações para o mundo inteiro praticamente sem custo.

Esperamos a iniciativa do governo brasileiro pelo menos para promover seminários de esclarecimento sobre informações importantes, como PPP (Parceria Público-Privada) em discussão no congresso, direcionados para as câmaras de indústria e comércio estrangeiras e suas empresas associadas.


Recomendação 10: Manter estreito contato com as empresas estrangeiras já instaladas no país, coletar delas os problemas relacionados com investimentos e trazer esses dados para a política governamental.

Quando uma empresa estrangeira pensa em investir, ela realiza várias pesquisas para escolher um país ou região como candidato. Uma das pesquisas que elas não dispensam é entrevistar as empresas de seu país já instaladas no local que está sendo pesquisado, a fim de obter opiniões mais abrangentes sobre o assunto. Se as empresas emitirem opinião negativa sobre o ambiente de investimento brasileiro ou se não estiverem satisfeitas com o resultados dos negócios, enfrentando problemas trabalhistas, burocráticos ou de relacionamento com a comunidade local, poderá influenciar negativamente ou passar má impressão para a empresa que está pretendendo investir.

O principal objetivo dos órgãos de promoção de investimentos é captar novos investidores, mas é essencial que esses órgãos mantenham também contatos com a diretoria das empresas que já são investidoras, trocando sempre opiniões sobre os problemas relativos aos investimentos e administração ou gestão empresarial e oferecer apoios necessários. Isso porque as empresas investidoras estão sempre pensando em seu crescimento, encubando grandes possibilidades de expansão de suas fábricas e novos investimentos. Além disso, essas empresas podem guardar preciosas idéias e recomendações sobre como atrair mais investidores. Esse tipo de trabalho de manutenção do dia-a-dia resultará em novos investimentos e novas injeções de capital. Nunca devemos esquecer de cuidar bem do cliente.


Recomendação 11: Os órgãos de promoção de investimentos devem estabelecer escritórios e pontos de contato nos principais países do exterior.

Já citamos que em Tóquio encontramos diversos escritórios de órgãos de promoção de investimentos dos principais países, assim como escritórios de governos estaduais. Se o Brasil pretende mesmo atrair capital estrangeiro para o país, é imprescindível que a INVESTE BRASIL ou outro órgão que a substitua se instale na Europa, em cidades como Londres, Paris, Frankfurt, Milão ou Madri, nos EUA, em Nova Iorque ou Los Angeles, e no Japão, em Tóquio, a fim de realizar atividades de promoção rotineiramente. Dependendo da estratégia montada pelo Brasil, será necessário voltar a atenção também para os países da América Latina, como a Argentina, Chile e México, e em países do leste asiático, como a China que apresenta um crescimento vertiginoso, Coréia e Taiwan.

O primeiro problema para quem quer estabelecer um escritório em um país estrangeiro é o alto custo, composto por: aluguel do escritório, salário dos funcionários, moradia, salário dos assistentes, custo administrativo, despesas operacionais e outras despesas. Existem boas saídas para amenizar o alto custo, como a solução adotada pelos órgãos de outros países de reunir em um mesmo escritório as funções de promoção de investimento e promoção de exportação, ou ainda, conforme o caso, juntar também a função de promoção de turismo.

Existem vários formatos de escritórios que podem ser montados. Levantamos a seguir quatro exemplos:

1. Escritórios independentes
2. Operar dentro das organizações brasileiras já instaladas no país
Por exemplo, alocar um espaço nos escritórios da Embaixada do Brasil, Banco do Brasil, Companhia Vale do Rio Doce, BRADESCO e outros.
3. Uma forma que não demanda tanto custo é manter uma pessoa de contato, que poderá ser um brasileiro ou pessoa desse país, que resida na cidade de interesse, entenda de negócios com o Brasil e tenha conhecimento de língua portuguesa, inglesa ou do país de interesse. Dessa forma, é possível fazer uma grande economia aluguel de escritório, moradia, custo de contratação de assistentes etc. Serão necessários somente o salário para essa pessoa e os custos de execução do programa. O Japão, por exemplo, envia muitos japoneses para residirem no Brasil e que acabam familiarizados com os negócios brasileiros. Da mesma forma, existem muitos brasileiros que entendem de negócios japoneses e possuem visto permanente no Japão. Muitos deles são aposentados que trabalham como voluntários, sem se preocuparem muito com o nível salarial. Um dos métodos é procurar talentos entre essas pessoas.
4. Manter agentes de relações públicas ou consultores de investimentos para executarem programas anuais.

Com os métodos 3 ou 4 acima citados, até os governos de estados e municípios, com pouco orçamento disponível, podem implantar escritórios em outros países.

Além dessas 11 recomendações, a ida e vinda de personalidades entre os países também têm um papel importante. Pois a intensificação do intercâmbio econômico bilateral aumentará, sem dúvida, a visitação de chefes de estado, primeiros-ministros, ministros e personalidades do mundo financeiro. A visita do Presidente Lula e seus ministros, em potenciais países investidores, serve para transmitir a mensagem do Brasil e também atrai a visita dos governantes desses países. Isso é favorável para aumentar o intercâmbio econômico, através de investimentos e comércio exterior.

Assim, acabo de apresentar as 11 recomendações para atrair o capital estrangeiro. Se o Brasil executá-las na prática de modo seguro e correto, o capital estrangeiro aparecerá, sem dúvida, na quantidade e qualidade desejadas.


Esta página foi visitada 804311 vezes! Copyright 2002-2003 40 Anos All rights reserved
Desenvolvido e mantido por AbraOn.